Erykah Badu esculacha líder do Flaming Lips por vídeo

Clipe com participação da cantora em cenas de nudez e referências a esperma e sangue foi retirado do ar.

POR EQUIPE SOMA
publicado em 08.06.2012 14:08  | última atualização 08.06.2012 14:43

Erykah Badu e Wayne Coyne POR Reprodução

Foto acima tungada do Stereogum

Wayne Coyne, líder do Flaming Lips e notório malucão indie, tomou um esculacho virtual da diva esquentada Erykah Badu depois de ter publicado um vídeo em que a irmã da cantora, Nayrok, aparece nua, em cenas com referências a sangue e sêmen.

UPDATE: os links para o vídeo foram teoricamente todos tirados do ar, mas espelhos seguem aparecendo por aí (ah, essa interwebz). Se você ainda não entendeu a razão desse bafafá todo, veja abaixo


face por mindexpands

O clipe da faixa “The First Time Ever I Saw Your Face”, cover de Roberta Flack tocado pelos Lips em parceria com Badu, foi colocado no ar na semana passada por Coyne. A música faz parte do novo álbum do grupo de Oklahoma City, The Flaming Lips and Heady Fwends, que inclui parcerias com artistas como Tame Impala, Prefuse 73, Bon Iver e Chris Martin (sim, o cara do Coldplay. A gente também ficou chocado).

Coyne acabou tirando o vídeo do ar e pedindo desculpas por deixar uma versão “não editada e não aprovada” do vídeo vazar. O lance é que mexer com a Erykah Badu é sempre um risco, e ela achou as desculpas muito superficiais – e então publicou um longo texto usando o TweetLonger onde acusa o cantor de ser um manipulador e “cuzão”.

Mas melhor do que a gente ficar descrevendo aqui é você ler a tradução na íntegra do texto de Badu, cortesia do nosso editor Mateus Potumati:

"Então... talvez, da próxima vez em que você tiver a chance de trabalhar com um artista que respeita sua mente/arte, você deva pelo menos mandar um ROUGH do vídeo que você PRETENDE lançar, antes de manipular ou comprometer a reputação desse artista lançando desesperadamente um pretexto baixo para chocar e (exibir) nudez que mande uma mensagem distorcida que passa como arte (para alguns). Mesmo no (clipe da música) Window Seat (incorporado abaixo) havia um método e um processo de reflexão envolvidos. Eu não tenho a menor necessidade de aparecer. E eu adoro diálogos artísticos. E só porque uma imagem é chocante, não significa que seja arte.



Você obviamente me entendeu mal artisticamente. Eu não ligo para isso, mas...
Aliás, você é um cuzão.
Fez tudo errado no set.
Primeiro:
Você me mostrou um conceito artístico lindo e de bom gosto (por meio de mensagens no celular).
Eu confiei naquilo. Eu estava errada.
Daí você soltou uma versão não editada e não aprovada em questão de dias.
Isso significa apenas uma coisa ,
Auto-indulgência .
Quando eu te perguntei sobre o conceito
Você explicou , respondeu ,”não significa nada , eu só quero fazer um grande vídeo que todo mundo vai assistir. ”
Eu entendo , porque como artistas todos nós desejamos isso. Mas não se faz isso às custas de outro artista .
Eu tentei resolver isso com respeito, conversando com você depois do lançamento mas isso tudo se comprovou como uma péssima desculpa para fazer arte.
Desde o começo,
Você implorou que eu sentasse em uma banheira cheia daquela porcaria e eu disse nah. Eu me recusei a sentar em qualquer líquido que não fosse água. Mas por RESPEITO a você e ao artista que ‘aparenta’ ser, Eu não queria matar o seu conceito , queria pelo menos que você conseguisse tirar ele da cabeça . Afinal, você gastou uma cota com estúdio , viagens para Dallas etc.. Entããão, eu convidei Nayrok , minha irmã caçula e artista, que é muito mais liberal , para encenar aquelas outras imagens perturbadoras (pra mim) . Eu te disse desde o começo que, na minha opinião, o conceito era perturbador. Mas que eu daria uma chance à sua edição.
Então, você disse que usaria as minhas cenas ( em água limpa/com partes totalmente cobertas –me pareceu tranquilo) e a parte de Nayrok ( cuja filmagem eu não presenciei mas vi fotos e um trecho com xarope de amido de milho ) e editar as duas juntas com imagens cósmicas, em chroma key  ( que ninguém viu) e iria me mandar essa edição.
Em vez disso, você me desrespeitou lançando imagens e um vídeo sem edição final na internet sem a minha aprovação. (Quebra de contrato )
Isso é o mesmo que postar imagens minhas me trocando no provador feitas por uma câmera de segurança.
Eu nunca teria aprovado um vídeo de tamanho mau gosto, tão sem sentido e com o puro objetivo de chocar .
Nossa arte é o reflexo de quem nós somos . Eu não tenho conexão alguma com aquelas imagens filmadas na versão não editada . Eu estava interessada em ver uma edição incrível que talvez mudasse ou alterasse a minha impressão . Nunca aconteceu .
Você também fez o mesmo com a música que traz uns vocais de merda meus, “crus “ . Eu deixei passar , talvez eu não estivesse entendendo, pensei.
Eu Deveria ter seguido meus instintos no estúdio quando gravamos o vocal “do seu jeito”.
( Luz vermelha.) Eu fiquei sem jeito.
A culpa aí é minha .
Por consequência, mano, me sinto enojada como humana pelo que parece ser desespero e péssima realização da sua parte. E desrespeito pelos outros . Como diretora não fiquei nada impressionada . Como socióloga eu entendo o seu tipo. Como colega artística não me senti inspirada. Como mulher me sinto violada e subestimada.
Espero que funcione como você queria , Wayne.
Na real eu estou cagando e andando.
Mas ainda adoro o show de vocês.
E , de nada.
Aprendi a lição .
Aliás eu aceitei participar de muitos poucos vídeos. Mas sempre me deram a oportunidade de ver a edição e contribuir com ela quando minha participação era significativa. Mas não desta vez .
Acho que você prefere pedir desculpas do que pedir a minha permissão e receber um não . Eu te amo, cara, mas o seu jeito de trabalhar não é legal .
Ah, e em nome de todos os artistas que você manipulou ou pretende manipular, encontre outra forma .
Eu falei essas coisas porque precisava.
E se você não gosta
Você pode ir à merda (em inglês, literalmente: você pode BeIJAR a MINHA BUNDA PURPURINADA).
Ah, e a Nayrok também te mandou à merda .
Eu já ia esquecendo.
Paz

Srta. Badu"

tags:
 flaming lips, wayne coyne, erykah badu, nayrok

mais lidas

somacast




reviews

 

melhores soma

discos
faixas

Rob Mazurek Octet Skull Sessions

Julia Holter Ekstasis

The Thing & Neneh Cherry The Cherry Thing

 

Oyá . MetaL MetaL

livros & quadrinhos

Jake Adelstein Tóquio Proibida

Lourenço Mutarelli Quando Meu Pai Se Encontrou Com o ET Fazia Um Dia Quente

Marcello Quintanilha Almas Públicas

Vários Autores (org. Lucas Ribeiro) Transfer – Arte Urbana e Contemporânea

filmes
games

Pearl Jam . PJ 20 Cameron Crowe . Sony Music . 2011

Itamar Assumpção . Daquele Instante em Diante . 2011 Itamar Assumpção . Daquele Instante em Diante . 2011

Infinity Blade II Epic Games e Chair Entertainment . 2011

ICO and Shadow of the Colossus Collection Sony Computer Entertainment . 2011

mais reviews